(11) 5052-1000
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1

Entenda como funciona o procedimento de doação de embriões

No tratamento de Fertilização in vitro geralmente são formados vários embriões, não somente aqueles que serão transferidos. O casal tem a opção de congelar os embriões excedentes para serem utilizados em uma 2 gestação ou até mesmo se precisar de outras tentativas.

Se o tratamento do casal der certo e o mesmo não querer mais filhos, o casal tem a opção de assinar uma autorização para doar os embriões para pesquisa científica ou para um casal.

 Normas do Conselho Federal de Medicina referente a doação de embriões

Se tratando de doação de embriões, devem ser seguidas as normas do Conselho Federal de Medicina (CFM). Antes da doação ser efetuada, é investigado se há problemas genéticos na família do casal doador.

Segundo o CFM:

  • A doação é anônima e não pode ter caráter lucrativo ou comercial
  • Será mantido o sigilo sobre a identidade dos doadores de embriões e também dos receptores.
  • A escolha dos doadores é de responsabilidade do médico. É preciso garantir que o(a) doador(a) tenha maior semelhança fenotípica e máxima possibilidade de compatibilidade com a receptora.

Indicações para o procedimento de Doação de embriões

A doação de embriões é um procedimento indicado especialmente para mulheres que não possuem mais óvulos em quantidade e qualidade e desejam a produção independente ou casais que possuem fatores de infertilidade associados a quantidade e qualidade dos gametas masculino e feminino também podem optar por realizar a transferência de embriões doados descongelados. No entanto, o procedimento possibilita a realização do sonho da maternidade e a construção de uma nova família.

Como é realizado o procedimento de doação de embriões?

Primeiramente, a paciente realizará uma avaliação detalhada com o médico especialista para preparar o endométrio da mulher que vai receber o embrião doado. Deste modo, o médico simula o ambiente hormonal e fisiológico ideal para que o embrião se implante e desenvolva com saúde.

A paciente realiza um ultrassom no início do ciclo menstrual (entre 1 ao 5 dia) para avaliar se os ovários e o útero apresentam-se adequados para iniciar a fase de preparo endometrial e inicia o preparo com estradiol (Estrogel) por via oral (comprimidos) ou transdérmica (adesivos, gel). Após 1 semana do primeiro ultrassom, é avaliado as características do endométrio e os ovários não podem ter folículos grandes.

O preparo chega ao fim quando a espessura do endométrio alcança 7mm ou 8mm, sendo assim é iniciado a progesterona por via vaginal (Primogyna, Utrogestan, Crinone, Delestrogen). Finalmente, chega a transferência embrionária que deve ser agendada 3 a 5 depois, a depender da fase em que o embrião foi congelado.

Após o 6º dia da transferência são dosados estradiol, progesterona para possível manutenção, ultrassom para avaliar o endométrio e o beta HCG (teste de gravidez) é realizado após 12 dias da transferência embrionária. Contudo o sucesso do procedimento vai depender da qualidade do embrião congelado, da qualidade do pós descongelamento deste embrião e também da receptividade uterina da receptora.

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital

Fale por Whatsapp