(11) 5052-1000
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1

Saiba sobre as chances de sucesso para ovodoação para tentantes acima dos 40 anos

Questões relacionadas ao sonho e desejo de ter um filho e não conseguir são sempre delicadas e exigem uma atenção e cuidado especial dos médicos. Nesse sentido, na reprodução humana assistida, existe o tratamento de ovodoação, indicado para mulheres que não possuem os ovários ou estes não são capazes de produzir ovócitos (óvulos) de boa qualidade. A mulher doa ovócitos saudáveis a fim de ajudar a realizar o sonho de uma mulher que não consegue produzir gametas adequados para o sucesso da gestação.

Como é realizado o tratamento de Fertilização in vitro com a recepção de óvulos (ovodoação)?

No tratamento de ovodoação tanto a doadora como a receptora realizam o tratamento juntas. De início será estimulado com medicamentos hormonais os ovários da doadora para a produção de um bom número de ovócitos. Enquanto a doadora realiza o estímulo ovariano, a receptora terá que fazer um tratamento com hormônios (estradiol e progesterona) para o preparo do endométrio com medicamentos por via oral, vaginal, procedimento feito antes de receber o embrião. Estes hormônios terão que ser mantidos até 12 semana de gestação, pois a partir desse momento a placenta passa a ser a responsável por sua manutenção. Após a 12 semana, a gestação evolui normalmente, sem a necessidade de suporte hormonal. O pré-natal é igual ao de uma gravidez concebida naturalmente e a mãe poderá amamentar sem nenhuma diferença de uma gravidez espontânea.

Primeiramente, a Fertilização in vitro (FIV) será realizada com os ovócitos doados e os espermatozoides do marido da receptora possibilitando assim a implantação e o desenvolvimento correto do embrião em seu útero. Os embriões formados são mantidos em laboratório e embriologia por um período de 3 a 5 dias (embrião em estágio de blastocisto), e posteriormente, são transferidos para o útero da paciente receptora. Por outro lado, para a doadora, será preciso fazer exames para avaliar sua reserva ovariana, além disso, confirmar as sorologias precisas para afastar qualquer tipo de doença infecciosa e também avaliar a compatibilidade com a receptora. Neste caso, a doadora precisa se encaixar nos seguintes perfis:

-Ter menos de 35 anos e ser saudável;

-Nenhum histórico de doença genética familiar;

-Não ter doenças infectocontagiosas;

-Apresentar bom potencial ovariano;

-Tipo físico e sanguíneo compatíveis com a receptora.

No Brasil, a venda de óvulos é proibida por lei, o Conselho Federal de Medicina (CFM) estipulou algumas normas éticas para esse tipo de tratamento, como por exemplo, a doação de óvulos não pode haver caráter comercial ou lucrativo, é realizada de forma anônima, (a receptora não pode conhecer a identidade da doadora dos oócitos e vice-versa), com a intenção de ajudar uma mulher que não tenha mais condições de ter filhos por apresentarem alguns dos seguintes fatores:

-Menopausa;

-Múltiplas falhas em tratamento de FIV ou abortos devido a baixa qualidade de seus ovócitos;

-Falência ovariana prematura (pré-menopausa);

-Alterações genéticas ligadas ao ovócito devido a idade avançada também;

-Mulheres que nasceram com ovários não funcionantes;

-Mulheres que já passaram por tratamento de quimioterapia ou radioterapia; entre outros.

No entanto, para ser doadora de ovócitos a mulher precisa estar ciente de que não terá nenhuma informação e direito legal sobre a criança. Toda a equipe médica envolvida, assim como doadora, receptora e as respectivas famílias precisam ter consciência que todo o processo acontece de forma anônima e não será possível ter qualquer tipo de contato. Ambos casais assinam termos de consentimento explicando todo o processo e concordando com esse tratamento. A doação deve acontecer de maneira totalmente sigilosa e anônima e apenas a equipe médica terá informações sobre quem é a doadora e quem recebeu aqueles ovócitos.

Chances de sucesso para tentantes submetidas ao tratamento de Fertilização in vitro com a recepção de óvulos (ovodoação)?

No tratamento de ovodoação, as taxas de sucesso (por transferência de embriões) estão entre 55% e 65%. A taxa de gravidez cumulativa de pacientes após 3 ciclos de doação de óvulos atinge mais de 90%. A taxa de aborto espontâneo é ao redor de 15%, muito menor do que os quase 50% de aborto para mulheres que engravidam com seus próprios óvulos, com mais de 42 anos.

Quer ser uma receptora? Então siga os 4 passos abaixo

1 passo: Consulta com o médico especialista para avaliação;

2 passo: Realização de exames para confirmação do diagnóstico;

3 passo: Programar o tratamento com a escolha da doadora de acordo com as características do casal;

4 passo: Inicia o tratamento na doadora e a receptora prepara o útero para posterior transferência dos embriões.

Um bebe fruto de doação de óvulos pode ter sua genética alterada segundo explica a epigenética, uma área da ciência que diz a respeito sobre os efeitos do meio ambiente em relação aos genes. O ambiente no caso de uma gestação é o útero da mulher. Assim, tudo o que ocorrer durante sua gravidez vai influenciar seus genes. Não importa qual a origem, seu organismo e seu útero vão determinar a forma como os genes recebidos a partir do óvulo doado serão expressos. Assim, a criança nascida de seu útero será emocionalmente, fisicamente e psicologicamente diferente da criança que nasceria se fosse concebida no útero da doadora do óvulo. Herdará de você (e não de quem doou os óvulos) características da sua personalidade, dom artístico, preferência musical ou por comidas diferentes. Venha para Neo Vita e conheça nossos profissionais. Estamos à disposição para esclarecer suas dúvidas e fornecer maiores informações.

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital

Fale por Whatsapp