(11) 5052-1000
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1

Assisted Hatching com laser: entenda como funciona o procedimento e recomendações

Fertilização 10/01/2020

Na gestação natural, o ovócito (óvulo) é fecundado pelo espermatozoide na tuba uterina e o embrião formado se desenvolve durante cinco dias e é transferido para cavidade uterina, chegando ao endométrio na fase de blastocisto.

Dentro do útero, o embrião eclode pela camada externa, denominada zona pelúcida. Essa eclosão é fundamental para a implantação embrionária. A zona pelúcida é uma camada importante na gestação natural e FIV clássica para evitar a penetração e fertilização de mais de um espermatozoide.

É a estrutura que envolve o ovócito, também o pré-embrião durante as primeiras fases do seu desenvolvimento e se mantém intacta durante as primeiras divisões celulares até o estágio de blastocisto. Nesse estágio, a pressão interna exercida pelo embrião em crescimento, força o afinamento e consequente rompimento da zona pelúcida para implantação do embrião.

Assisted Hatching com laser:  técnica para facilitar a implantação do embrião

 O Assisted Hatching com laser (forma de energia disparada de forma extremamente precisa sobre a zona pelúcida, fazendo uma abertura), atualmente mais comum e com melhores resultados, é uma técnica realizada dentro dos laboratórios de embriologia, que ajuda no processo de abertura da zona pelúcida (camada glicoproteica que fica em torno dos embriões) para facilitar a eclosão do embrião dentro do útero no dia da transferência.

É indicada normalmente para aqueles casais que já estão tentando fazer a Fertilização in vitro sem obter sucesso na fixação do embrião no útero (endométrio). Um dos motivos que pode explicar a falha de implantação é o fato de muitos embriões não conseguirem sair da zona pelúcida. Também pode ser feito quando os embriologistas percebem que a zona pelúcida do embrião apresenta-se muito espessa.

Recomendações para a técnica de Assisted Hatching

 Segundo a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva (ASRM), a técnica aumenta a taxa de implantação e gestação para mulheres com:

  • Zona pelúcida com espessura aumentada, normalmente observada em mulheres com mais de 38 anos e altas concentrações de FSH;
  • Embriões de baixa qualidade morfológica;
  • Falhas repetidas de implantação em outras tentativas de reprodução assistida;
  • Transferência de pré-embriões congelados e descongelados.

O procedimento não é indicado para qualquer caso e deve ser discutido com o médico especialista.

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital

Fale por Whatsapp