Fale com um
Especialista!
(11) 5052-1000 Whatsapp
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva Agende sua Consulta

Punção de óvulos para FIV: entenda como deve ser feito o processo da coleta

Fertilização 01/10/2019
Punção de óvulos para FIV: entenda como deve ser feito o processo da coleta

A fertilidade feminina está diretamente ligada à idade, antes mesmo de entrar na menopausa, acelera-se a perda do número e qualidade dos oócitos. Inicia-se então o período onde ocorrem as falhas de ovulação, chegando o tempo em que a mulher deixa definitivamente de menstruar e de ovular. Mesmo a mulher menstruando regularmente com 40 anos de idade, a ovulação pode ficar comprometida e as chances de gravidez são reduzidas.

A combinação de fatores como a introdução da pílula anticoncepcional, o aumento da educação dos pais e nas escolas, carreira e o mercado de trabalho, têm contribuído para que a mulher tenha filhos com idade avançada, o que acarreta na perda da qualidade e quantidade de óvulos. De acordo com envelhecimento, as mulheres estão tendo cada vez mais com dificuldades de engravidar devido ao declínio de sua fertilidade. Devido a essas dificuldades, as mulheres começaram a se interessar pelos tratamentos de reprodução humana assistida e os seus procedimentos.

A Coleta dos óvulos

A coleta dos óvulos é a segunda etapa do tratamento de FIV. Durante o tratamento fertilização in vitro (FIV), os ovários são estimulados a fim de induzir o desenvolvimento multifolicular. Existem vários protocolos de estimulação e preparações de gonadotrofinas para serem utilizados. A estimulação é normalmente adaptada às necessidades do paciente e individualizada com base na idade, marcadores de reserva ovariana, achados em ultrassonografias, índice de massa corporal e caso haja, resposta à estimulação anterior. Quando os folículos chegam no tamanho adequado, estes são coletados e os oócitos são fertilizados. O procedimento é simples,  dura de aproximadamente 30 minutos, realizado com sedação anestésica e de extrema importância para o sucesso da FIV. Os folículos ovarianos, que contém os óvulos, serão aspirados através de uma fina agulha guiada por ultrassom transvaginal.

É natural que as mulheres tenham muitas dúvidas sobre o procedimento, sobre como deve se preparar, sobre o passo a passo que envolve aspiração folicular por meio de uma sedação anestésica, avaliação do líquido folicular pelos embriologistas, os cuidados pós procedimento, resultados esperados e os riscos envolvidos. Confira abaixo!

Preparação para coleta dos óvulos

A preparação inicia com a estimulação ovariana por meio de medicações indutoras da ovulação a cada 2 dias. Somente após a maturação folicular, quando os folículos já estão em tamanhos adequados, marca-se o procedimento de aspiração folicular, conhecido popularmente como coleta dos óvulos.

Aspiração folicular

Uma fina agulha acoplada ao aparelho de ultrassom é inserida na vagina da paciente e chega até os ovários, penetrando os folículos para a aspiração. A agulha é acoplada a uma bomba à vácuo que executa a sucção responsável por aspirar o líquido folicular aos tubos, um de cada vez, cuidadosamente para não danificar os oócitos presentes dentro dos folículos. O procedimento é realizado com o acompanhamento de um anestesista e a equipe de enfermagem desde o início até o momento da alta.

Avaliação do líquido folicular

Após aspiração folicular, todo material coletado é entregue ao laboratório para avaliação em microscópio. Os oócitos encontrados são denudados e classificados de acordo quanto a sua maturidade. É importante ressaltar que somente oócitos maduros que podem ser fertilizados. A coleta do sêmen e preparação para a injeção dentro de cada oócito é realizada no mesmo dia

Resultados esperados, cuidados pós procedimento e riscos envolvidos

Teoricamente há um oócito em cada folículo, mas na prática nem sempre o número de oócitos correspondem ao número de folículos aspirados. Quando há a retirada de mais oócitos do que visualizados no ultrassom, normalmente o estradiol está aumentado. O contrário também ocorre, mas nesse caso o estradiol é baixo, bem como a quantidade de folículos visualizados no ultrassom e no momento pós coleta não se encontra nenhum oócito. Esse evento é denominado de folículo vazio.

Após o procedimento é necessário alguns cuidados com a paciente. Recomenda-se repouso no dia da coleta, devido a sonolência após o efeito anestésico. No dia posterior a paciente já pode retornar as suas atividades. Entretanto, cada caso precisa ser avaliado individualmente.

É imprescindível que o paciente seja bem assistido em todo o processo desde sua consulta para o diagnóstico até o final do tratamento, quando o paciente já fez transferência embrionária e recebeu o seu Beta Hcg positivo. Riscos cirúrgicos existem, apesar de pequenos, como lesões de vasos sanguíneos, bexiga ou ovário e torção ovariana. Na Neo Vita priorizamos a abordagem individualizada no tratamento e acolhimento aos paciente. Pensamos que dessa forma o tratamento será conduzido da melhor forma, com cautela, tranquilidade, proporcionando melhores resultados.

Crédito: Christoph Burgstedt / Tipo de licença: Royalty-free / Coleção: iStock / Getty Images Plus

 

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital