(11) 5052-1000
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1

Segunda gravidez por FIV: tudo o que você precisa saber para realização do procedimento

Saiba mais sobre quais as chances de sucesso de engravidar com inseminação artificial

A Fertilização in vitro (FIV) é um tratamento de grande complexidade que tenta reproduzir, em laboratório, as condições adequadas para que ocorra a fertilização e as primeiras etapas do desenvolvimento embrionário similar ao que ocorre fisiologicamente no aparelho reprodutivo feminino. É um tratamento, cujo necessita de uma cooperação total do casal, da equipe de embriologistas e da equipe médica.

Independente da causa de infertilidade, se a indicação médica for a FIV, o tratamento será realizado com as mesmas etapas, exceto protocolos de medicação em relação aos tipos, doses e procedimentos técnicos serão diferenciados e adicionados a depender da necessidade do paciente.

A FIV tem o intuito de corrigir alguma condição de infertilidade que está afetando aquele casal, pois com a FIV, somente um óvulo e espermatozoide de qualidade é capaz de ser fertilizado, desenvolver para um embrião saudável, ser transferido e implantado no útero para uma gestação positiva.

A FIV fará apenas o papel de retirar as pedras pelo caminho, o papel do médico é muito importante pois é ele que tratará a causa diagnosticada para que o casal tenha o resultado esperado no final do tratamento.

Abaixo esclarecemos o que você precisa saber para ter o segundo filho pela FIV.

Segunda gravidez por FIV

Na Neo Vita, há possibilidade dos pacientes congelarem seus embriões excedentes e estes poderão ser utilizados em uma segunda gestação de forma bem mais tranquila, acessível e que não precise passar por todas as etapas (estimulação ovariana, coleta de óvulos, coleta de sêmen)  e realizar apenas o preparo do endométrio para transferência dos embriões descongelados.

Vitrificação de embriões

A vitrificação de embriões é um método mais realizado nos grandes centros de reprodução humana assistida, onde se utiliza alta concentração de crioprotetores + resfriamento ultra-rápido (30.000°C/min), impedindo a formação de cristais de gelo intracelular e assim evitando dano celular. A vitrificação tornou-se uma técnica mais simples e efetiva, pois existe uma ótima preservação da qualidade dos embriões. A taxa de sobrevivência pós-descongelamento é superior a 90%, e a taxa de gravidez com embriões vitrificados tem se mostrado igual ou até superior comparada com transferência de embriões a fresco.

Segundo estudos científicos, quando realizamos transferência de embriões congelados (FET – Frozen Embryo Transfer), não existe alta exposição de hormônios, pois o preparo do endométrio pode ser realizado em ciclo natural, utilizando de inicio estradiol via oral. Deste modo, as concentrações hormonais são iguais ou pouco superiores a um ciclo natural. Sendo assim, o endométrio fica mais receptivo, e as taxas de implantação tendem a aumentar. Contudo além da FET proporcionar condições melhores de implantação, melhora também os resultados obstétricos. Estudos com o acompanhamento de pacientes que realizaram a FIV com FET tem mostrado que nos ciclos de congelados os riscos de sangramentos obstétricos, prematuridade e baixo peso do recém-nascido são menores.

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital

Fale por Whatsapp