(11) 5052-1000
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1

Entenda mais sobre a relação da fertilidade masculina com a idade e exames

Saúde masculina 21/08/2019

A fertilidade masculina é avaliada por meio de exames laboratoriais. O principal exame que verifica a capacidade de produção e características dos espermatozoides é chamado de espermograma e seu objetivo principal é verificar qual é a capacidade de produção e qualidade dos espermatozoides. Se tratando da sua qualidade será avaliado a sua motilidade e morfologia.

Além destes exames, o homem também é avaliado fisicamente e investigado doenças e possíveis infecções do trato urinário e testículos. Pode ser solicitado uma ultrassonografia de testículos para verificar a integridade do órgão ou identificar qualquer causa que esteja interferindo na fertilidade e também exame de toque retal com objetivo de avaliar a próstata. Medicamentos, drogas ilícitas e consumo frequente de bebidas alcoólicas pode ser um problema, pois afeta diretamente na qualidade e quantidade dos espermatozoides.

Fertilidade masculina e a idade

A fertilidade masculina sofre muito menos com a idade do que a feminina. Isso acontece porque o homem produz espermatozoides a cada 3 meses, ao contrário da mulher que já nasce com um número de óvulos que se reduz ao longo da vida.

Ultimamente tem-se pesquisado o papel da idade paterna sobre esses mesmos aspectos. Verificou-se que existe influência também, mas em menores proporções. Com o avanço da idade do homem, ocorre uma diminuição na quantidade e qualidade do sêmen, assim como na motilidade de seus espermatozoides. Por este motivo, com o passar dos anos, a capacidade de se engravidar uma mulher torna-se menor.

Espermograma

O espermograma é um exame básico para avaliar o potencial fertil do homem. Inicialmente é avaliado se os parâmetros macroscópicos (características do sêmen) se apresentam normais, como o volume do esperma, pH, viscosidade, cor e liquefação. Em seguida, avalia os parâmetros microscópicos. Nestes são avaliados a concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides tanto do ponto de vista quantitativo como qualitativo. Por fim, o espermograma ainda inclui a determinação de leucócitos presentes na amostra que quando presentes pode ser um sinal de infecção.

O espermograma é o exame mais importante para avaliar a capacidade reprodutiva dos homens.

Através do exame é possível saber se o homem tem produção adequada de espermatozoides e se os mesmos são capazes de fecundar um óvulo.

Preparação para o exame: O material para realização deste exame é obtido em laboratório por meio da masturbação. Para realização deste exame, o indicado é que o homem permaneça em abstinência de 3 a 5 dias antes do exame.

Avaliação Hormonal

Avaliação hormonal é realizada por meio da dosagem dos hormônios: testosterona, FSH, LH, prolactina. A testosterona é um hormônio que está diretamente relacionado com a capacidade reprodutiva do homem. Este hormônio diminui naturalmente ao longo dos anos e compromete a produção de espermatozoides.

Fragmentação do DNA do espermatozoide

Teste utilizado para avaliar a integridade do DNA e indicado para condições de:

Infertilidade sem causa aparente (ISCA);
-Baixa taxa de fertilização e qualidade embrionária;
-Maus hábitos: Cigarro, álcool, drogas e outros;
-Histórico de abortos repetidos;
-Homens com mais de 40 anos;
-Homens expostos a agentes tóxicos;
-Febre alta;
-Varicocele.

Pode ser realizado o teste de dispersão da cromatina espermática e também a PICSI que é um procedimento laboratorial utilizado no tratamento de fertilização in vitro (FIV) com objetivo de selecionar os melhores espermatozoides para serem injetados no óvulo.

O diagnóstico é objetivo e retrata que mesmo espermatozoides morfologicamente normais e móveis podem apresentar níveis altos de fragmentação de DNA.

Espermatozoides com lesão no DNA estão relacionados com o comprometimento do desenvolvimento embrionário e a falha de implantação. Sabe-se que valores acima de 20% de fragmentação diminuem a capacidade do espermatozoide fertilizar o ovócito (óvulo) adequadamente.

Contudo, quando é diagnosticado precocemente, o tratamento realizado com o uso de antioxidantes (vitaminas C e E), antibióticos e anti-inflamatórios podem melhorar as chances de alcançar a gravidez desejada e também diminuir a ocorrência de abortos.

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital

Fale por Whatsapp