Fale com um
Especialista!
(11) 5052-1000 Whatsapp
Neo Vita - Reprodução Humana e Saúde Reprodutiva

Resp Técnico: Dr. Fernando P. Ferreira

CRM-SP: 103.984 | RQE: 39.163.1
Agende sua Consulta

Motilidade progressiva: entenda como funciona o exame de espermograma

Saúde masculina 31/08/2019
Motilidade progressiva: entenda como funciona o exame de espermograma

O que é o exame de espermograma?

É um exame laboratorial que avalia o potencial fértil do homem. O espermograma analisa a qualidade do sêmen do paciente, segundo alguns critérios definidos pela Organização Mundial da Saúde no ano de 2010, a partir de uma amostra coletada pelo homem por meio de masturbação após 2 a 7 dias de abstinência sexual. Não é recomendada a coleta de sêmen em casos de pacientes que apresentem períodos inferiores a 2 dias ou superiores a 7 dias de abstinência.   Durante o exame, é analisado desde o aspecto do ejaculado em si, até a concentração e as condições, como a motilidade, morfologia estrita de Kruger, dos espermatozoides na amostra. O resultado anormal não significa que o indivíduo é infértil.

Indicações para fazer o exame

O exame é solicitado pelo médico especialista quando existe alguma condição física, imunológica ou até mesmo genética que possa interferir no potencial fértil do homem. Geralmente, o exame é pedido após avaliação clínica do casal, onde há casos de tentativas sem sucesso para engravidar, homens vasectomizados, entre outros.

Como é realizado o exame?

A coleta do sêmen é realizada por masturbação em uma sala com acesso  ao laboratório. A sala contém filmes e revistas, cujo os próprios laboratórios fornecem para estímulos visuais. E para o êxito do exame, é muito importante que o paciente ejacule dentro do frasco para que não haja perda da amostra, pois pode interferir no resultado do exame.

Essa amostra é enviada diretamente ao laboratório para uma análise macroscópica e microscópica. Análise macroscópica consiste em avaliar a ‘’olho nu’’ as condições físicas do sêmen, como o volume, viscosidade, tempo de liquefação, cor e aspecto, e pH. Por outro lado, análise microscópica avalia os parâmetros de concentração (quantidade de espermatozoides produzidos), motilidade total e progressiva (capacidade de se mover e se deslocar em uma direção), vitalidade (porcentagem de sobrevivência) e a morfologia. Também são medidas as quantidades de leucócitos no esperma (células de defesa do nosso corpo.

Morfologia estrita de Kruger

Para avaliar a morfologia é realizada a análise da morfologia estrita de Kruger. Nessa análise é realizado a coloração e avaliação em microscópio óptico sendo visualizados com um tamanho 1000 vezes maior. Os espermatozoides podem apresentar alterações morfológicas, desde defeitos de cabeça, peça intermediária, cauda, ou acrossoma (organela localizada na cabeça do espermatozoide que possui enzimas responsáveis pela penetração do espermatozoide no óvulo).

Os espermatozoides considerados normais, que apresentam cabeça em formato oval, peça intermediária de tamanho e espessura adequada e cauda perfeitas são os que apresentam maior chance de fertilização. De acordo com o critério de Kruger, a quantidade de gametas considerados normais deve ser igual ou superior a 4% para caracterizar normalidade no parâmetro de morfologia do espermatozoide.

Ao final do exame de espermograma, com avaliação destes parâmetros, os homens são classificados dentro dos padrões normais (normospermia) ou fora deles. Os tratamentos a serem indicados podem variar, pois depende do resultado da análise. Indica-se uma gravidez espontânea ou até mesmo por meio de inseminação intra uterina (IIU), um tratamento de reprodução humana de baixa complexidade, quando aquele paciente apresentar 5% ou mais de espermatozoides normais no critério de Kruger e a concentração de espermatozoides móveis for superior a 5 milhões por ml. Já no caso da Fertilização in vitro (FIV) pela técnica de injeção intracitoplasmática do espermatozoide (ICSI) indica-se quando a morfologia estrita é inferior a 4% ou a quantidade de espermatozoides móveis não chegam a 5 milhões por ml analisado.                                                                                                                Contudo, somente após avaliação do potencial fértil do casal, o especialista poderá indicar a melhor técnica para cada caso, pois além do espermograma, as condições do aparelho reprodutor feminino também influenciam nas chances de fertilidade do casal.

Crédito: Tero Vesalainen / Tipo de licença: Royalty-free / Coleção: iStock / Getty Images Plus

 

Desenvolvido por AO5 Marketing Digital